O Blockchain

Uma Explicação Simplificada

O que é o "Blockchain"?

Don Tapscott: Blockchain RevolutionDon Tapscott: Blockchain RevolutionExplicação técnica: O blockchain é um banco de dados decentral, que grava um sempre crescente número de dados (blocos). Cada bloco recebe uma indicação de data e hora e são vinculadas ao bloco anterior. O blockchain nada mas é que uma série (chain) de transações (block), que contém uma promessa de pagamento (engl.: IOU - von "I owe You") válida. Todos os usuários de BitCoin têm uma cópia deste livro-razão, que contém, por assim dizer, aquela versão da verdade apoiada pela maioria. O Blockchain também é conhecido como "o protocolo da confiança". Funciona como um livro-razão, mas é público, porque cada usuário recebe uma cópia. Por ser compartilhado universalmente, cria um consenso de confiança na comunicação direta entre duas partes, tornando obsoleto o intermédio de terceiros.

Segue uma tentativa de explicar o Blockchain atravéz de um exemplo simples do dia-a-dia. Assim funcionaria um Blockchain no mundo analógico:
Vamos supor que fossemos a um supermercado qualquer, que se encontra em um shopping. Somente possuimos uma unidade monetária (não importa se isso é uma moeda de prata, uma nota de R$ 100, uma concha rara, uma pérola ou seja o que for). Escolhemos os produtos desejados e nos dirigimos ao caixa. No caixa, ao invéz de pagarmos, mandamos um eMail para o vendedor, prometendo pagá-lo o valor de 1 unidade monetária pelos produtos adquiridos. Todos os nossos conhecidos recebem uma cópia deste eMail. Este eMail, neste momento, virou uma IOU, uma promessa de pagamento. Isso é, aliás, oque todo banco faz quando emite um empréstimo. A diferença é que o banco não possui o dinheiro do empréstimo. Este dinheiro é gerado no momento que o cliente assina a promessa de pagar (IOU). No Blockchain, cada qual é o seu próprio banco, porque o Blockchain garante o cumprimento da promessa.

Ricardo Mansur: Blockchain - Uma Nova e Poderosa Economia NasceuRicardo Mansur: Blockchain - Uma Nova e Poderosa Economia NasceuDe volta ao supermercado: Testemunhas que se encontram próximas ao caixa querem testemunhar esta transação, porque por esta prestação de servico eles receberão uma pequena remuneração. Estas testemunhas irão verificar se nos realmente possuimos a unidade monetária prometida ao operador do caixa, e também se ele e nos unicordiamente estamos dispostos a realizar esta transação. Com isso confirmado, estas testemunhas mandam um eMail para todos, anunciando que esta transação é uma transação válida. Todos os recipientes repassam o eMail para os seus contatos e assim por diante.

Depois do expediente, o vendedor vai ao banco e troca a unidade prometida pela moeda que ele desejar. O banco tambés esta sciente de que nós prometemos pagar o vendedor o valor de uma unidade monetátia, portanto o eMail do vendedor ao banco vale tanto quanto a própria unidade, porque o banco tem a garantia de que o vendedor irá pagar.
Mas por que deveriamos? Nós ainda nos encontramos na posse da unidade monetária, certo? Então vamos supor que nós nos dirijissemos à próxima loja e enchessemos o carrinho de compras com produtos no valor de uma unidade monetária outra vez. Ao chegar ao caixa, o contrato é rejeitado. Por quê? Simples: O vendedor desta loja também recebeu o eMail da nossa transação feita no supermercado e sabe que esta unidade já está prometida ao outro vendedor. Com isso ele sabe que nós não temos dinheiro suficiente para pagar a mecadoria. Outras testemunhas também sabem que se trata de uma transação inválida e que, por isso, não irão validar esta transação.

Vamos supor que o vendedor não se importe com o contrato já estabelecido com outro vendedor, porque ele prefere a unidade monetária à honestidade, ou porque ele é só o operador do caixa e a mercadoria é do patrão e pouco lhe interessa o dano. Ele resolve aceitar a transação. Neste momento as testemunhas se recusam a validar a transação, pois sabem que não é válida. Para seguir em frente, nós e o vededor ou operador teriamos que convencer pelo menos 51% de todos os presentes, não só na loga, mas no shopping inteiro. E eles teriam que validar a transação ao mesmo tempo. Não seria mais fácil, usar este tempo para adquirir uma nova unidade monetária de outra maneira? Não é, também, mais fácil e mais barato mineirar ouro, doque tentar transformar chumbo em ouro?

Cada transação, chamada "bloco", é adicionada às transações do passado. O resultado é uma série de transações, ou melhor, uma corrente, cujos elos são os blocos. Em inglês "Blockchain". Ela é como um livro fiscal, de qual todos recébem uma cópia atualizada. Se alguém possui uma cópia caducada ou alterada, ela é automaticamente substituida pela cópia mais recente.
Entede-se que um sistema assim não poderia funcionar no mundo analógico. Não só por que seres humanos logo perderiam completamente a visão e o controle sobre tantas transações, mas principalmente pelo fator humano. Mas no Blockchain isso é perfeitamente possível, porque o trabalho não é feito por humanos falíveis, políticos corruptos, juízes suspeitos de parcialidade, banqueiros ganaciosos, nem por escravos desmotivados em algum complexo industrial na China. Estes processos são feito por máquinas. Por uma rede de milhões de computadores decentralizados e espalhados por todo o globo.

»Com esta máquina não se pode negociar. Ela não é corrupta. Ela não é gananciosa. Ela não conhece piedade, remorso, dor, e ela não irá deixar de funcionar. Nunca.«


© 2017 by Markus Besold